[Resenha] 10 Coisas Que Nós Fizemos

Redação

Tem algumas histórias que são absurdas e outras que vão ado absurdo para o muito absurdo em poucas páginas. E é praticamente o que aconteceu com este livro. Não que eu tenha odiado ele, afinal até avaliei com 3/5 estrelas no Skoob. Mas ele incomoda um pouco no final (geralmente é ao contrário, né? rs).

April tem 16 anos e já passou por alguns momentos difíceis na vida por causa da separação de seus pais, a mudança de sua mãe para a França e o novo casamento de seu pai. Parece um white people problem, né? Entendo, mas para uma menina que descobriu que a mãe estava traindo o pai quando tinha cerca de 13 anos, teve que lidar com a separação quando tinha 14 e neste mesmo período até uma depressão é algo grande sim.

Então quando seu pai diz que vai se mudar de estado com sua nova esposa ela faz de tudo para ficar na cidade onde ela tem seus amigos e namorado. E aí que começa o problema, né? Entre mentiras, contas de e-mail falsa e até ligações falsas ela consegue então ficar na casa de Vi, que mora com a mãe ausente. As mentiras começam por aí, e claro que eu não vou listar todas elas.

A história é legal, não vou mentir. Mas para começo de conversa que pai deixa a filha na casa de uma “estranha” sem nem ao menos conversar pessoalmente? Falo isso porque minha mãe, por exemplo, é bem protetora com essa questão e eu sei que comigo nunca rolaria. No começo ela se sente super bem com a nova vida, mas as coisas sempre vão desmoronando aos poucos.

Primeiro seu namorado, Noah, volta de uma viagem todo estranho e ela aos poucos vai se questionando o porque de ele estar assim mas vai levando a situação com a barriga pois ela se sente muito apaixonada por ele. Mas aí já tem um padrão em April, pois ela sempre se sente um pouco culpada por situações que não são sua culpa. E na questão familiar além da culpa ela sente raiva, principalmente de sua mãe.

Vi e eu tínhamos um código. Éramos garotas abandonadas.

A sinopse diz que a história tem um triangulo amoroso e eu particularmente não vi dessa forma. Tem sim um terceiro garoto na história mas ele nunca foi algo que atrapalhou seu relacionamento com Noah. April achava ele bonito e um bom amigo e só vou perceber que era afim dele mesmo quando algo ruim aconteceu entre ela e seu namorado. Claro que Hudson é um garoto super bacana, que a ajudou em diversos momentos e que nunca a julgou e sempre viu seu melhor. Os amigos de April são um complemento na história, apesar de eu ter achado Vi uma menina com problemas a ser resolvidos.

Sobre o final beirar o absurdo foi apenas uma consequência de todas as coisas que as meninas fizeram e que não deveriam ter feito, mas não deixa de ser um pouco chato principalmente pelos momentos que April agiu por impulso e parou de se culpar e começou a culpar todo mundo (mesmo que algumas pessoas tenham sim tido culpa). A história é legal, da para passar o tempo e tem seus momentos divertidos, mas dificilmente sera o young adult preferido de alguém.

Compartilhe Este Post
Follow:
Goutyne, curiosidade e conhecimento! explore o mundo sem sair do sofá. Vamos explorar!