Filmes

Paixão Sufocante | Netflix – Tudo sobre a história real por trás do filme

Dirigido por David M. Rosenthal, Paixão Sufocante é o novo filme da Netflix. O longa de drama romântico francês gira em torno de Roxana Aubrey, uma acadêmica que resolve deixar seus estudos e sair de Paris, França. Então, ela resolve ir para o sul da França para participar de um curso de mergulho livre, e se apaixona por seu professor Pascal Gauthier, que é campeão mundial de mergulho.

Em Paixão Sufocante, conforme eles descobrem um pouco mais sobre o relacionamento deles por meio das diversas competições. Assim, Roxana passa a ser uma especialista em esportes subaquáticos, gerando conflitos em seu relacionamento. Protagonizado por Camille Rowe e Sofiane Zermani, o drama esportivo vem cheio de amor, drama e competividade.

Os personagens do drama esportivo mostram a realidade dos relacionamentos. Assim, deixando com a dúvida se os acontecimentos da vida real podem inspirar de alguma forma a história. Caso seja sim, qual seria a história real e a semelhança com os acontecimentos descritos no filme? Veremos aqui a respostas para tais perguntas.

Paixão Sufocante é história real?

Sim, Paixão Sufocante tem inspiração em fatos reais. Dirigido e escrito por David M. Rosenthal, o filme tem inspiração na vida da mergulhadora francesa Audrey Mestre, recordista mundial. Várias adaptações de eventos envolventes da vida da esportista francesa são narrado para televisão. Podemos ver em Paixão Sufocante, que os principais acontecimentos se passam na França, enquanto Audrey se muda para a Cidade do México, no México, durante sua adolescência. Assim, ela resolveu estudar biologia marinha em uma universidade em La Paz, no México.

Anteriormente, Audrey já era muito ligada aos esportes subaquáticos e já fazia mergulho aos treze anos. Contudo, não havia pegado sua certificação antes dos seus dezesseis anos, pois havia uma lei na França que à impedia. Então, no ano de 1996 que Audrey teve interesse nos esportes subaquáticos e se aproximou de Francisco “Pipín” Ferreras, um famoso mergulhador livre de Cuba.

Assim, eles imediatamente iniciaram um relacionamento e se mudaram para Miami, Flórida, onde seu treinamento se iniciou. Dessa forma, Audrey que originou a história do Paixão Sufocante começou a atingir profundidades recordes. Com isso, se tornou uma mergulhadora que todos respeitavam por direito próprio.

Já em 1999, veio o casamento de Audrey e Francisco na cidade costeira de Fort Lauderdale, Flórida. No mesmo ano, Audrey bateu o recorde mundial feminino de mergulho livre com a profundidade de 125 metros com apenas uma lufada de ar. Assim, no ano seguinte, ela novamente quebrou o seu próprio recorde mergulhando a uma profundidade de 130 metros.

No mês de outubro de 2002, ela resolveu quebrar o recorde mundial de mergulho livre sem limites. Esse recorde era estabelecido por Tanya Streeter em 17 de agosto de 2002, quando Streeter fez um mergulho a 160 metros de profundidade.
O que aconteceu com Audrey? Audrey, que originou a história do Paixão Sufocante, fez um mergulho na praia de Bayahibe, na República Dominicana, em 4 de outubro de 2002. Ela estava junto da equipe de mergulho que Francisco comandava, e sua profundidade chegou a 166, no entanto, ela continuou praticando.

No marcante dia 12 de outubro de 2002, Audrey estava decidida a fazer um mergulho com uma profundidade de 171 metros. Quando atingiu a profundidade que almejou, Audrey abriu a válvula em seu tanque de ar que inflaria a bolsa de elevação, o que a levaria até a superfície. Mas, infelizmente, não havia ar no tanque. Portanto, obrigou o mergulhador de resgate a inflar sua bolsa de elevação usando seu suprimento, mesmo que fosse tarde demais. Não foi possível que Audrey, que originou a história do Paixão Sufocante, atingisse a superfície rapidamente devido à inflação inadequada. Além disso, uma forte corrente e a corda do riser não estava na vertical.

Paixão Sufocante é baseado na história real

Deveria ser um mergulho de apenas 3 minutos, no entanto, ela ficou debaixo d’água por mais de 8 minutos e 30 segundos. Então, Francisco colocou seu equipamento de mergulho e foi atrás de sua esposa para salvá-la, mesmo que o pior já tivesse acontecido. No entanto, sua morte foi declarada mais tarde no hospital.

O acontecimento teve grande repercussão, devido não ter seguido as diretrizes adequadas. Diversos profissionais argumentaram que o evento não deveria ter acontecido antes do planejado. Isso porque deveria ter uma quantidade maior de mergulhadores de segurança, equipamentos de resgate e profissionais médicos no local. Assim, a mergulhadora que originou a história Paixão Sufocante não resistiu. Ao que tudo indica, ela teria pulso quando foi trazida a superfície, mas por falta de estrutura médica, Audrey não resistiu.

O motivo da morte de Audrey

Ao tentar ressuscitar sua esposa debaixo d’água, o público percebeu que ele perdeu um tempo muito grande, sendo definitivo para salvá-la. Falaram também, que o mergulhador cubano tinha a responsabilidade pelo carregamento de tanque de ar de Audrey, mesmo que não deixasse que ninguém conferir. Assim como em Paixão sufocante, foram levantados vários questionamentos sobre suas motivações em relação ao mesmo.

Após a cremação de Audrey, suas cinzas foram jogadas na água. No entanto, ela também foi postumamente alistada no Women Divers Hall of Fame em 2002. No ano de 2004, Francisco fez a publicação de um livro em seu nome, denominado ‘The Dive: A Story of Love and Obsession’, escrito por Linda Robertson.