Como manter as crianças seguras na internet

Goutyne
By Goutyne
Como manter as criancas seguras na internet

Não há dúvidas de que a tecnologia pode contribuir muito para o dia a dia, principalmente na hora de entreter os pequenos. Entretanto, quando o assunto são crianças na internet, é preciso ter cautela, já que os ambientes na web podem rapidamente se tornar um risco.

O mundo virtual é repleto de novidades eletrizantes, com milhares de jogos e vídeos divertidos para a criançada. Por outro lado, ao navegar entre as páginas, os pequenos podem ser expostos a perigos como cyberbullying e conteúdos inapropriados, que prejudicam o desenvolvimento. 

É comum nos tempos atuais, que as crianças já saibam mexer em aparelhos eletrônicos, como computadores, smartphones ou tablets. Os nativos digitais, são inseridos desde a primeira infância à tecnologia, e conseguem dominar esses dispositivos com facilidade.

Porém, sem dúvidas, essa desenvoltura precoce provoca sentimentos mistos em mães e pais, visto que há diversos perigos rondando a internet e ambientes virtuais. Sendo assim, logo abaixo, você pode conferir 5 dicas de como manter as crianças seguras na internet. Aproveite!

6. Conheça os perigos

Cyberbullying, conteúdo inapropriado, sites perigosos e pessoas mal-intencionadas estão à solta na internet. (GettyImages/Reprodução)

Não apenas as crianças, os adultos também precisam entender como a internet funciona na prática. Afinal, todos nós estamos vulneráveis de alguma maneira no ambiente virtual. Conhecer as possíveis ameaças e entender como combatê-las é fundamental para um uso saudável dessa ferramenta.

O primeiro passo é pesquisar mais sobre malwares, ransomwares, phishing e adwares, por exemplo. Instalar um bom antivírus em seus aparelhos também pode ajudar a ter maior proteção e segurança. Dessa maneira, você estará se educando e dando o exemplo.

4. Converse com a criança

Com o diálogo, você conseguirá explicar todas as nossas vulnerabilidades diante da internet. (GettyImages/Reprodução)

Uma vez que você já entende como funcionam as coisas, chegou a hora de manter um diálogo aberto com as crianças para que elas percebam como a internet pode ser maravilhosa e ao mesmo tempo cruel.

Porém, é importante abordar esse assunto com um pouco mais de cautela, mostrando que não é interessante clicar em qualquer link ou tomar alguma ação maior sem consultar os pais.

É importante conversar sobre a privacidade online e discutir sobre como as informações pessoais devem ser mantidas apenas entre a família, sem nunca compartilhá-las na internet. Nesse contexto, se faz necessário uma explicação breve do porquê isso deve ser seguido.

3. Verifique as redes sociais

Importante orientar as crianças sobre não conversar com desconhecidos também nas redes sociais. (GettyImages/Reprodução)

Com as redes sociais cada vez mais em alta, as crianças querem ter perfis em todas elas para poder interagir com os amigos, colegas da escola e outras pessoas. Caso os pais se sintam confortáveis podem criar perfis para seus filhos, desde que façam um monitoramento contínuo das contas e estejam dispostos a observar essa navegação constante.

Alguns dos principais perigos das redes sociais estão na exposição das crianças. Portanto, veja sempre o que está sendo compartilhado nesses espaços pelos seus filhos e evitando que determinadas fotos mais pessoais sejam reveladas.

Atente-se também para quem está interagindo nas redes, evitando aceitar pessoas desconhecidas, ainda que outras crianças, neste círculo virtual.

2. Controle o que a criança consome

Há aplicativos de controle parental que podem ser acessados do seu próprio smartphone sobre o da sua criança. (GettyImages/Reprodução)

Existem alguns aplicativos que fazem o controle parental de tudo o que a criança está acessando em determinados aparelhos. Embora muitas pessoas utilizem esse controle sem comunicação, é interessante avisar aos filhos que existe um aplicativo do tipo instalado, para que ele também tenha consciência sobre o que está acessando na internet.

Uma outra forma de fazer esse controle é bloquear determinados acessos a sites perigosos e até inapropriados – que contenham pornografia, por exemplo.

1. Defina os limites

Tente sempre manter seu filho perto de você quando estiver utilizando a internet. (GettyImages/Reprodução)

Por fim, é preciso falar sobre mais uma forma de diálogo. Ao definir limites específicos da criança com a internet, um uso mais saudável também poderá acontecer.

Logo, estabeleça horários em que seu filho terá acesso aos dispositivos com acesso à internet. Faça um acompanhamento da navegação por alguns instantes para que ele se sinta seguro e confie cada vez mais na sua presença.

Unindo todas essas boas práticas, você conseguirá manter suas crianças mais seguras na internet sem precisar tomar medidas drásticas e que geram estresse, traumas e outros contratempos.

Compartilhe Este Post
By Goutyne
Follow:
Bem-vindo ao nosso site dedicado ao entretenimento e cultura! Aqui, você encontrará uma variedade de conteúdos envolventes sobre filmes, séries, resenhas de livros e ofertas imperdíveis.